Police Shootings Minnesota-GL92QA0JP.1.jpg EUA WASHINGTON – Ruas de várias cidades americanas seguem tomadas por protestos, após as mortes de dois negros baleados por policiais. Embora a maioria das manifestações tenha clima pacífico, dezenas de pessoas foram presas e aguradam liberação em delegacias policiais. Estradas foram bloqueadas e confrontos foram registrados em St. Paul, em Minnesota, assim como membros do Novo Partido dos Panteras Negras também enfrentaram a polícia em Baton Rouge, em Louisiana.

Segundo a rede de TV CNN, pelo menos, 198 pessoas foram presas nestas duas cidade, onde os dois homens foram mortos, além Nova York e Chicago. As mortes foram capturadas em telefones celulares e provocaram vários dias de protestos.

O famoso ativista do movimento Black Lives Matter DeRay McKesson, considerado umas das principais vozes do movimento, estava entre 125 pessoas detidas sábado à noite, em Baton Rouge.

Esta foi a quinta noite de protestos em Baton Rouge, onde as manifestações se intensificam a cada dia, e a polícia respondeu com policiais da tropa de choque. Os dois lados se enfrentaram, muitas vezes bloqueando a estrada principal em frente à sede da polícia.

A polícia informou que alguns oficiais tinham sido feridos por fogos de artifício e uma série de prisões foram feitas. Manifestantes, por sua vez, dissera que a polícia disparou balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo.

Em St Paul, Minnesota, 50 pessoas foram presas. Durante toda a noite, fogos de artifício, garrafas e pedras foram atirados contra a polícia, num protesto que fechou uma importante rodovia interestadual, causando engarrafamentos. Os participantes pedem justiça pela morte por forças policiais de Philando Castela.

A situação também continua tensa em Dallas, onde cinco policiais foram mortos por um homem negro durante uma manifestação. O quartel-general da polícia chegou a ser bloqueado neste sábado, depois de receber uma ameaça anônima.

201607100142449346_AFP.jpgNo sábado, seis pessoas ficaram feridas e três foram presas em Phoenix, onde tropas de choque da polícia usaram spray de pimenta contra os manifestantes, alguns dos quais que jogavam pedras nos policiais, segundo um comunicado do Departamento de Polícia de Phoenix.

O movimento Black Lives Matter, que promove manifestações em todo o país, exige o fim da violência e não o aumento.

Centenas de pessoas voltaram a se reunir em Nova York no sábado, pela terceira noite consecutiva, para repudiar a violência policial contra os negros e recordar Alton Sterling e Philando Castile, os dois homens mortos por policiais na Louisiana e em Minnesota, ações que iniciaram os protestos.

Atos similares aconteceram em diversas cidades. Os promotores convocaram as passeatas com o lema “O fim da semana da raiva”.

Em Phoenix, Arizona, a polícia dispersou os manifestantes que atiravam pedras. E em Rochester, Nova York, 74 pessoas foram detidas por um protesto nas ruas.

Mas em todas as localidades, de Atlanta a Houston, Nova Orleans, Detroit ou Baltimore, as manifestações foram pacíficas.