Planalto tem prazo de 72 horas para entregar gravação de reunião com Moro

Na reunião. Bolsonaro teria cobrado a troca de comando da Polícia Federal de Moro

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que a Presidência da República entregue, em até 72 horas, as gravações de uma reunião ministerial que ocorreu no Palácio do Planalto em 22 de abril e foi citada por Moro em seu depoimento.

Quando usar máscara de pano

“Oficie-se com urgência […] para que encaminhem, no prazo de 72 (setenta e duas) horas, cópia dos registros audiovisuais da reunião realizada entre o Presidente da República, o Vice-Presidente da República, Ministros de Estado e Presidentes de bancos públicos, ocorrida no dia 22/04/2020, no Palácio do Planalto”, escreveu Celso de Mello.

A gravação requisitada pelo STF foi refenciada pelo ex-ministro Sérgio Moro em seu depoimento na Polícia Federal. A reunião, um conselho de ministros, Moro afirma que foi cobrado por Bolsonaro pela substituição do diretor-geral da Polícia Federal e também por relátorios de inteligência e de informação do órgão.

Na reunião, que foi registrada (foto acima) pela equipe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Sérgio Moro aparece sentado entre o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Aráujo, e do vice-presidente Hamilton Mourão.

Na decisão de Celso de Mello, ele determina ainda que os arquivos devem ser preservados com total integridade do conteúdo, para “impedir que os elementos nela contidos possam ser alterados, modificados ou, até mesmo, suprimidos”, já que, com a decisão, são considerados provas de um “procedimento de natureza criminal”.

Reportagem: Portal R7


Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

cinco × dois =