A presença maciça de jovens na última edição do Orçamento Participativo 2021, realizado na região Oeste nessa terça-feira (5), contribuiu para a obtenção de resultados que irão auxiliar na formação dessa população, como a votação expressiva pela reforma do Centro da Juventude (CEJU) no Jardim Naipi.

O encontro contou com mais de 700 pessoas na quadra de esportes da Guarda Mirim. Entre elas, o grupo de votação organizado pelos usuários do CEJU. A assistente social Sen Hwa Lim Gonçalves conta que a mobilização envolveu os pais, alunos e pessoas da comunidade que conhecem a importância do espaço.

“Em 2019 nós estávamos aqui para reivindicar, não chegamos a ser escolhidos, mas voltamos, pois precisamos dessa reforma. A cidade toda ganha quando a juventude é bem assistida e com certeza o futuro mostrará isso”, destaca.

Outra grande concentração da juventude se deu com os alunos do Colégio Agrícola de Foz do Iguaçu. Para contribuir com os projetos de educação na região, Thiago de Mello, 17, e diversos colegas vieram até o OP para também conhecer melhor um processo popular de votação.

“É a primeira vez que ajudo a escolher algo com o meu voto, por isso nós viemos para olhar todas as propostas e chegar a um consenso sobre o que pode ser melhor para os bairros. Foi um movimento muito bacana para o nosso aprendizado”, disse.

O prefeito Chico Brasileiro celebrou a participação desse público, para que eles entendam a importância da democracia desde muito cedo.

“A juventude participa muito ativamente das discussões nos grupos, pois são de uma geração que tem voz e podem se manifestar. Assim eles veem que uma democracia não se trata de vencedores e perdedores, mas sim de uma extensa participação popular que se une e decide em conjunto”, celebrou o prefeito.

Projetos contemplados

Chico Brasileiro também apresentou os investimentos já feitos na região, como os mais de R$ 12 milhões para a pavimentação de ruas na região Oeste nos últimos quatro anos, obras de drenagem e construção de áreas de lazer.

Para a área de educação, entre todas as escolas e CMEIs (Centro Municipal de Educação), já construídos ou em processo de tramitação, o destaque no evento ficou para a Escola Municipal Prof.ª Lúcia Marlene Pena Nieradka, na Vila Yolanda.

Grande parte dos professores e comunidade marcou presença para pedir um novo terreno para a construção da escola – entretanto, a demanda já está no orçamento de 2020 da Prefeitura e novo espaço já está garantido. Segundo o prefeito, a licitação será lançada em 15 dias.

“Já estamos com muita ansiedade para ver o documento comprovando que o terreno é nosso. Foi uma alegria muito grande ouvir que a demanda já estava resolvida, pois todos serão beneficiados e o apoio que tivemos hoje foi muito grande”, comemorou a diretora da escola, Márcia Melhorança.

“A pandemia não permitiu que fizéssemos outras grandes obras além da saúde no último ano, porém, todos os valores que eram destinados à educação não foram gastos, ficaram em caixa para quando voltássemos ao normal, realizássemos esses investimentos tão aguardados, como é o da Escola Prof.ª Lúcia Marlene e de tantas outras que ainda serão contempladas”, reafirmou Chico Brasileiro.

Importância do Orçamento Participativo

A secretária de Saúde e primeira-dama, Rosa Jeronymo, conta que casos parecidos com o da escola mostram como o Orçamento Participativo se firmou como um grande programa de Foz e utilizou também o exemplo do Bosque da Amizade, na Vila Portes, que foi inserido ao planejamento após a edição de 2019.

“Aquele espaço não chegou a ser eleito na primeira edição, porém, após a conversa com os moradores, a reforma foi incluída como primordial para o planejamento. Hoje ele é um local onde famílias se reúnem, graças à luta e persistência. Ver tanta gente em todas as edições nos deixa com muita alegria”, afirmou.

Para Kelyn Trento, secretária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade,  o encontro nesta terça-feira foi o encerramento merecido para uma edição histórica do OP.  “Foi o clássico fechamento com chave de ouro. Milhares de pessoas estiveram nas cinco edições do evento que deixou um legado para a cidade. Já estamos iniciando a organização da próxima edição, pois a democracia deve sempre prevalecer”.

Assessoria