Gosto de um teórico chamado Dobson, que estudou por longos anos os comportamentos de 35 mil crianças para explicar por que algumas são geniosas e outras não. De forma objetiva, eis um resumo da quantidade de informações que foram apresentadas pelos pais acompanhados:

1 – O autor cita o exemplo de que a criança geniosa precisa ser disciplinada constantemente e é sujeitada a uma porção de ameaças e sermões, enquanto o seu irmão angelical, o “lindinho da mamãe”, lustra a auréola e se refestela na aprovação dos pais.

2 – A maioria dos pais sabe que tem um filho genioso logo cedo. Um terço identifica essa característica logo após o nascimento. Dois terços descobrem antes do primeiro aniversário e 92% têm certeza absoluta antes do terceiro aniversário. Pais de filhos dóceis identificam essas características ainda mais cedo.

3 – O temperamento das crianças tende a refletir o temperamento dos pais. Apesar de haver muitas exceções, a probabilidade de dois pais geniosos terem um filho genioso é maior, sendo que se aplica igualmente ao temperamento dócil.

4 – Pais de crianças geniosas podem esperar conflitos intensos durante a adolescência, mesmo que tenham educado seus filhos adequadamente. Cerca de 74% das crianças geniosas se rebelam significativamente durante a adolescência. Quanto mais fraca a autoridade dos pais quando as crianças são pequenas, maiores conflitos eles têm a tendência de viver no futuro.

5 – Um dado surpreendente é que apenas 3% das crianças dóceis demonstram uma rebeldia intensa durante a adolescência e apenas 14% demonstram algum traço de rebeldia. Começam a vida com um sorriso no rosto e continuam assim até o início da idade adulta.

6 – A melhor notícia para os pais de filhos geniosos é o decréscimo acentuado da rebeldia no início da idade adulta. Essa característica sofre uma redução quase de imediato no início da casa dos vinte anos de idade e, daí pra frente, só diminui.

7 – A criança dócil se mostra consideravelmente mais ajustada à sociedade do que a criança geniosa. Ao que parece, os jovens que gostam de desafiar a autoridade dos pais também se mostram mais propensos a se comportar de maneira ofensiva com seus colegas.

8 – De modo geral, a criança dócil tem a autoestima mais elevada do que a criança geniosa. Trata-se de uma descoberta extremamente importante. Apenas 19% dos adolescentes mais geniosos gostam de si mesmos, 35% não gostam de si mesmos e 8% se detestam intensamente. A criança geniosa parece ter uma força interior que a leva a se aborrecer, brigar, testar, questionar, resistir e desafiar.

E aí? Gostou?

Pelo menos você já pode ler uma síntese de seu estudo e se beneficiar de seus resultados. Aproveite-os, bem!

Karine Rizzardi é psicóloga especialista de casais e família – [email protected]

janelas:

Pais de crianças geniosas podem esperar conflitos intensos durante a adolescência, mesmo que tenham educado seus filhos adequadamente

A melhor notícia para os pais de filhos geniosos é o decréscimo acentuado da rebeldia no início da idade adulta