Foz do Iguaçu – Neste domingo (7), dia do primeiro turno do pleito que elege presidente da República, 513 deputados federais, 54 deputados estaduais, 70 senadores e 27 governadores, 949.675 pessoas estão aptas a votar nos 50 municípios da região oeste do Paraná. Com base nos dados da estimativa populacional do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para o ano de 2018, com 1.307.461 habitantes, isso significa que 72% dos moradores do oeste deverão ir às urnas hoje.

As cidades do oeste representam 12% do eleitorado paranaense e 1% dos eleitores brasileiros. Ocorre que esses dados sofreram importantes variações desde as últimas eleições presidenciais, em 2014.

Três em cada dez municípios da região perderam votantes de lá para cá e outros 12% (seis municípios) se mantiveram estáveis ou com crescimento pífio.

Apesar disso, na soma, houve aumento de 1% no número de eleitores. Na última eleição para presidente, o número de eleitores era de 938.798 pessoas na região.

A maior retração foi em Foz do Iguaçu. Em 2014, o município que fica na tríplice fronteira com o Paraguai e a Argentina tinha 190.197 eleitores cadastros na Justiça Eleitoral. Para este ano são 178.270, redução de 6%. A justificativa está no processo biométrico realizado pouco antes das eleições municipais de 2016. Como esses eleitores não apareceram para regularizar a biometria, a Justiça deu baixa nesses nomes do sistema.

Foram quase 12 mil votantes que simplesmente deixaram de ter Foz do Iguaçu como seu colégio eleitoral. O curioso é que somente o número dos excluídos lá é maior que o total de votantes em 35 municípios da região. Ou seja, os retirados do sistema são mais do que os eleitores de 70% das cidades do oeste.

Em percentuais, o município que registrou maior perda de eleitores nesse período foi o de Tupãssi, com 12% de retração. Ali a justificativa pode ser outra. Segundo o IBGE, o Município vem perdendo população ao longo dos últimos anos. O mesmo que ocorre com Campo Bonito, segunda em percentuais com 10% de queda entre uma eleição e outra.

 

Maiores e menores colégios eleitorais

O maior colégio eleitoral em todo o oeste está em Cascavel. Distribuídos em duas zonas eleitorais, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) informa que são 218.448 votantes.

O segundo maior colégio eleitoral é Foz do Iguaçu, com 178.270 cadastros, seguido por Toledo, com 96.136.

Na outra ponta estão municípios como Iguatu, com o menor colégio eleitoral da região, onde apenas 2.208 estão aptos a votar, Anahy com 2.641 e Diamante do Sul, com 2.883. Na eleição passada havia ao menos um município com menos de 2 mil eleitores. Iguatu tinha 1.898 cadastros ativos na Justiça Eleitoral. Agora, isso não acontece mais.

Em percentuais, o município que mais cresceu no número de votantes – acompanhando o crescimento populacional nos últimos anos – foi Cafelândia, com elevação de eleitorado de 9%. Há quatro anos eram 11.025 aptos a irem às urnas, agora são 11.968.

Em números globais, Cascavel é o que mais avançou: ganhou 10.208 eleitores desde 2014.

 

Para eleger

No Paraná serão eleitos hoje 54 deputados estaduais, 30 federais e dois senadores. Se para o governo do Estado ou para a Presidência da República um candidato não fizer mais de 50% dos votos válidos, a disputa vai para segundo turno, que será no dia 28 deste mês.

A votação hoje se inicia às 8h e segue até as 17h. É imprescindível a apresentação do título de eleitor e/ou documento com foto. Para quem fez a biometria, está disponível o e-Título que pode ser baixado no celular até o dia da votação. Com ele é dispensável a apresentação de documentos físicos.

Não esqueça!

A ordem para votação será a seguinte: deputado federal, deputado estadual, senador (dois candidatos diferentes), governador e presidente. Pode levar colinha, mas não será permitido uso de celular na urna eletrônica.