Informe da redação: STJ, CGU e inadimplência

“É melhor matar que ser corrupto”

Cartão de Todos

O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio de Noronha, fez duras críticas às penas desproporcionais entre diferentes crimes e afirmou que “hoje é melhor matar que ser corrupto”. Noronha disse ainda que a Lava Jato não parou com a corrupção. As declarações foram feitas durante webinário do IGP (Instituto de Garantias Penais). “A Lava Jato parou com a corrupção? Não! Aumentar a pena vai parar a corrupção? Não! Não podemos aumentar a pena e criar uma desproporcionalidade. Hoje é melhor matar que ser corrupto. A corrupção está dando 25, 26 anos [de pena de prisão]. Homicídio tem dado 12, 14, 16. Isso é um absurdo! Nós não estamos balanceando os valores que pautam o sistema jurídico”, avalia. Sem citar o ex-ministro Sergio Moro, disse que é “um absurdo ter um projeto de lei anticrime”. “Existe lei pró-crime?”, questionou. Que dilema, hein?!

Fraudes

A CGU (Controladoria-Geral da União) identificou mais de 1,6 milhão de casos de fraude no auxílio emergencial pago a informais e desempregados, e foram devolvidos R$ 42 milhões ao governo federal. Contudo, segundo estimativa do TCU (Tribunal de Contas da União), 8,1 milhões de pessoas podem ter recebido o auxílio irregularmente, seja por conta de fraudes ou por erros do próprio governo.

Ajuda

Já em São Miguel do Iguaçu, a Secretaria Municipal de Assistência Social começa a entregar segunda e terça-feira (29 e 30) o auxílio emergencial às pessoas economicamente vulneráveis. São vales-compras de R$ 100, exclusivamente para aquisição de gêneros alimentícios que compõem a cesta básica. Exatamente 796 pessoas serão beneficiadas.

Inadimplência I

Proibida de cortar a luz de quem está em atraso, a Copel vê sua lista de inadimplentes se multiplicando. Em 2019, a companhia paranaense tinha 1,2% de inadimplência do faturamento (equivalente a R$ 226,5 milhões); em maio deste ano, em plena crise do coronavírus, esse número já chegava perto dos 2%, quase o dobro.

Inadimplência II

Segundo a Copel, mais da metade dos débitos é relativa a contas residenciais (57%); em seguida vêm as classes comerciais, que inclui serviços (21%), e depois a industrial (13%).

Democracia

Mais de 60 organizações, entre entidades nacionais, centrais sindicais, movimentos sociais, articulações pró-democracia e organizações não governamentais lançam nesta segunda-feira (29) a campanha #BrasilpelaDemocracia #BrasilpelaVida. Para marcar o lançamento, haverá uma grande mobilização nas redes sociais da campanha.

Mídia nacional

Chamado de “blogueiro bolsonarista”, Oswaldo Eustáquio foi preso nessa sexta em Campo Grande (MS), por suspeita de que fugiria do País. Ele é investigado no inquérito que apura o financiamento de atos antidemocráticos no País. Esse “blogueiro” é o mesmo que assinava uma coluna no jornal Agora Paraná, da Região Metropolitana de Curitiba, e que gostava de postar assuntos da política de Cascavel.

Apelo do chefe da Casa Civil

Circulou ontem em grupos de WhatsApp uma mensagem assinada pelo chefe da Casa Civil, Guto Silva, na qual alerta para um período difícil que o Paraná vai enfrentar: “Pessoal, gostaria de compartilhar com vcs a minha preocupação com os próximos 15 dias. Estamos fazendo todo trabalho de ampliação do sistema de saúde, testes etc mas recebi hoje novo alerta dos técnicos que as próximas semana serão duríssimas. Sei que, com o tempo expandido da pandemia, muitas vezes relaxamos um pouco, mas chamo atenção para os próximos dias que serão estratégicos para o combate. Por favor, orientar amigos e familiares para buscarem o isolamento pois a situação é  muito grave. Estamos avaliando medidas mais duras para os próximos dias, mas será a consciência da população que garantirá sairmos desta pandemia o mais rápido possível. Abração”.

 

Cartão de Todos

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação