Informe da redação: pegou mal, a frase infeliz e de mal a pior

Pegou mal

A brincadeira do presidente Jair Bolsonaro sobre a cloroquina: “quem é da direita toma cloroquina, quem é da esquerda toma Tubaína” repercutiu muito mal, inclusive para quem fabrica o refri. A Afrebras (Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil) divulgou nota repudiando a “infeliz declaração”, citando as mais de mil mortes por coronavírus ocorridas em 24 horas e cobrando do governo o fim de “regalias fiscais milionárias concedidas a multinacionais de bebidas na Zona Franca de Manaus, para amenizar o momento de crise econômica agravada pela pandemia no País”. A Afrebras representa mais de 100 indústrias de bebidas regionais no Brasil, entre as quais os produtores de tubaína. Segundo a entidade, o fim da isenção fiscal dada a Coca-Cola, Ambev e Heineken representaria economia de quase R$ 2 bilhões aos cofres públicos.

Pegou muito mal

Quem também falou pelos cotovelos foi o ex-presidente Lula, que usou as redes sociais para pedir desculpas pela “frase totalmente infeliz”: “Ainda bem que a natureza criou esse monstro”, dizendo que deveria ter usado “infelizmente” em vez de “ainda bem”.

A frase infeliz

“Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem e que os cegos comecem a enxergar que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises. Essa crise do coronavírus… somente o Estado pode resolver isso”, foi o que disse o petista.

De mal a pior

Nova pesquisa da XP/Ipespe mostra que o presidente Jair Bolsonaro obteve sua pior avaliação desde o início de seu mandato. O governo de Bolsonaro é considerado “Ruim/Péssimo” para metade da população, enquanto “Ótimo/Bom” é citado por 25%; outros 23% consideram regular e 2% não respondeu. Para 48% dos entrevistados, o restante do mandato será ruim/péssimo e 27% acredita que será bom/ótimo. Até seis meses atrás, 46% estava otimista, contra 31% de pessimistas.

Fritada

Após dias de “fritura”, o próprio presidente Jair Bolsonaro anunciou ontem a demissão da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial de Cultura e disse que ela vai assumir o comando da Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Em seu lugar assume o também ator Mário Frias, apoiador de Bolsonaro, ex-Malhação.

Saneamento

O senador Oriovisto Guimarães (Pode) atenta para a importância da votação no projeto de lei que altera o marco regulatório do saneamento básico no Brasil. “A situação sanitária brasileira é um atentado à dignidade humana. O serviço de saneamento básico precisa mudar para ser universalizado. Vivemos um momento em que estamos percebendo a importância de priorizar a saúde pública”.

Transporte escolar

Os deputados Wilmar Reichembach (PSC), Luiz Claudio Romanelli (PSB), Nelson Luersen (PDT) e a deputada Cristina Silvestri (CDN) apresentaram ontem projeto de lei que autoriza os municípios a subsidiar os trabalhadores do transporte escolar enquanto perdurar as restrições da pandemia do coronavírus. O subsídio poderá se dar através de empréstimos e, segundo os deputados, é de extrema relevância.

Fronteira fica fechada

Apesar da pressão dos dois lados, o ministro de Relações Exteriores do Paraguai, Antonio Rivas, disse que ainda não tem data para reabrir as fronteiras com os países vizinhos, inclusive o Brasil. Segundo o chanceler, as fronteiras ficarão fechadas enquanto houver risco de contágio por coronavírus. Segundo ele, quando a pandemia estiver controlada, as fronteiras vão reabrir, mas de forma coordenada, o que ele acredita que deve ocorrer “nos próximos meses”.

 


Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação