COTIDIANO

Greve dos servidores tem baixa adesão no noroeste

28 de junho de 2019 às 12:40
Publicidade

UMUARAMA – Na quinta-feira (27) foi o terceiro dia de greve dos servidores estaduais do Paraná. O movimento atinge todo o estado. No entanto, na região de Umuarama, a adesão dos professores ainda era baixa, conforme os dados repassados pela diretoria da APP-Sindicato. Ainda não há um balanço geral de todo o movimento feito pelos professores, mas o órgão informou na tarde de quinta-feira uma estatística das escolas e cidades da região. Dos dados são de que apenas uma escola está com as atividades praticamente paralisadas, o Colégio Estadual Almirante Tamandaré, de Cruzeiro do Oeste.

A cidade também possui mais um colégio onde 70% de professores aderiram ao movimento, o Colégio Estadual Anchieta. Além de Cruzeiro do Oeste, apenas a cidade de Francisco Alves está com mais de 50% de adesão, somando 60% do total de professores do Colégio Estadual Vicente Tomazini.

Em Umuarama apenas o Colégio José Balan possui mais da metade de adesão dos professores, com 80% dos docentes paralisados. Nos demais colégios, menos da metade de professores aderiram ao movimento.

“Acreditamos que o movimento irá crescer nos próximos dias. A greve começou agora e a expectativa é de crescimento. Os professores precisam saber que está em jogo a garantia dos direitos que estão previstos por lei, como o pagamento da data-base, por exemplo”, diz o Secretário de Assuntos Municipais da APP, professor Wilson.

A intenção da diretoria é promover a disseminação de informações a respeito da carreira do servidor, que, de acordo com a APP, pode estar sendo destruída aos poucos. “Não é questão de brigar por aumento de salário, só queremos que a reposição da inflação seja paga e que nossos direitos sejam garantidos”, diz o professor.

Conforme a APP, os trabalhadores reivindicam o pagamento de 4,94% referente a inflação dos últimos 12 meses, e a negociação dos atrasados, que acumulam em mais de 17%.

“A greve é essencial para lutarmos por nossos direitos e está prevista na constituição como um movimento legal. É através dela que poderemos chamar a atenção do governo sobre nossas reivindicações e tentar dialogar sobre as nossas situações”, esclarece Wilson. A diretoria do Sindicato também afirma que cada professor está livre para decidir se adere ou não à greve. “Os portões dos colégios continuam abertos e cabe a cada docente decidir como vai agir”.

Atividades

Hoje (28), os docentes se reuniram em frente ao Núcleo Regional da Educação de Umuarama, por volta das 7h30, para conversar com o NRE sobre orientações de atos legais da greve, como forma de prevenir que qualquer irregularidade seja constatada. Além disso, no sábado (30) e no domingo (1º) os representantes da categoria pretendem conversar com a população a respeito das reivindicações do movimento, a fim de que promovam o esclarecimento das questões que estão em jogo. Também no domingo, a direção pretende ir para Curitiba para fazer junto com as seções sindicais do estado um balanço da greve no geral.

Veja a lista de adesão dos colégios e municípios do NRE de Umuarama:

Em Umuarama

Colégio Bento Mussurunga: 9% de adesão dos professores
Colégio José Balan: 80% de adesão
Colégio Monteiro Lobato: 3% de adesão
Colégio Padre Manuel da Nóbrega: 5% de adesão
Colégio Pedro II: 1% de adesão
Escola Durval Seifert: 7% de adesão
Colégio Jardim Cruzeiro: 35% de adesão
Colégio Lovat: 2%, de adesão
Colégio Tiradentes: 50% de adesão
Os demais não tiveram adesão registrada.

Outras cidades

Alto Paraíso: 50% de adesão dos professores.
Alto Piquiri: 30% de adesão dos professores.
Altônia: adesão de 2 professores.
Cafezal do Sul: não houve registro de adesão.
Cruzeiro do Oeste: 1 colégio praticamente sem atividades, outro está com 70% de adesão e em outro ainda não há resultados pois os professores devem decidir se aderirão nos próximos dias.
Douradina: não há registro de adesão.
Esperança Nova: não há registro de adesão.
Francisco Alves: 60% de adesão dos professores.
Icaraíma: 12 professores paralisaram as atividades.
Iporã: não há registro de adesão, mas a categoria deve se reunir nos próximos dias para decidirem se entrarão ou não no movimento.
Ivaté: não há registro de adesão.
Maria Helena: não há registro de adesão.
Mariluz: não há registro de adesão.
Perobal: não há registro de adesão.
Nova Olímpia: não há registro de adesão.
Pérola – 5 professores aderiram ao movimento.
São Jorge do Patrocínio: não há registro.
Xambrê: não há registro de adesão.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE