Eleições 2020

Quem está fora quer entrar e quem está dentro não quer sair. Se por um lado os vereadores estão atentos às mudanças e definindo estratégias para permanecer no cargo, por outro há interessados em conquistar a vaga – seja na Câmara ou no Paço. Com a vitória de Ratinho Júnior (PSD), o ex-vereador Juarez Berté agora se dedica ao fortalecimento do DEM local. O partido promete vir com tudo ganhando reforços nas filiações e não é novidade que o ex-secretário de Meio Ambiente é cotado para tentar impedir a reeleição de Leonaldo Paranhos (PSC).

Manda e desmanda

Quem está dando as cartas em relação às nomeações dos cargos regionais do Estado é Paranhos. A aproximação com o governador eleito fez com que ele tivesse influência nas decisões. Embora tenha esse propósito político, é notório o respeito ao conhecimento técnico: Marlise Cruz no IAP; Mari Besing na 7ª Ciretran; Nildo Santello no NRE, Fernando Dilenburg na Sedu e João Gabriel Avanci, na 10ª Regional. A grande barreira para outras possibilidades seria a remuneração, considerada baixa em alguns cargos, média de R$ 6 mil. Muitas nomeações do segundo escalão só serão efetivadas mês que vem.

Descontente

Diante dos seguidos escândalos envolvendo o MDB, quem não esconde sua insatisfação é o vereador Roberto Parra. Além das medidas aplicadas pelo ex-presidente Michel Temer, o vereador rejeita as ações estaduais, ainda sob o comando de Roberto Requião, que critica a eleição de Jair Bolsonaro (PSL). “É preciso aceitar o resultado, assumir os erros”. O MDB tem mais de 4,5 mil filiados em Cascavel.

Amarrado

Parra reclama da falta de envolvimento do MDB com as causas municipalistas. “Lamento essa situação. Esperamos resolver essa situação para contribuir com o partido e a sociedade”. Se pudesse, o vereador deixaria o partido – ação cogitada para as próximas eleições. “Não estou confortável”. Em relação ao MDB de Cascavel, Parra desafia: “Quem é o presidente? Ninguém sabe! Não se vê o MDB em ações da política de Cascavel. Não é só aparecer em época eleitoral”.

Novos ares

Candidato a vice-prefeito na última eleição pelo MDB, o advogado Adani Primo Triches está agora no PRB. Embora considere cedo falar sobre as eleições de 2020, ele não descarta o pleito, inclusive a disputa pelo Paço, caso tenha apoio da legenda.

**Paranhos viaja esta semana para Curitiba e Brasília. Ontem, na Escola de Governo, alertou que o governo municipal entra no terceiro ano, mas o ritmo do Estado e da União, com governos novos, não será o mesmo.

**Serão seis meses de um período que ele considera “complicado”.

**Embora tenha interesse de voltar, quem sumiu do cenário político é Edgar Bueno (PDT).