A população idosa vem crescendo no Brasil e a perda de audição é uma consequência natural do envelhecimento. Atualmente, já são mais de 28 milhões de idosos com mais de 60 anos – 13% da população, segundo o IBGE.

A deficiência auditiva relacionada à idade – denominada presbiacúsia – acontece à medida em que o indivíduo envelhece. A dificuldade de se comunicar pelo telefone, ouvir o som da TV ou entender as palavras em uma simples conversa são alguns dos primeiros sintomas de que algo não vai bem com a audição. E essa dificuldade de ouvir, se não for tratada, acarreta problemas de comunicação e situações constrangedoras no dia a dia. E o pior: com o tempo, podem aparecer problemas cognitivos, isolamento e até depressão; principalmente se o idoso também tiver outras limitações, como dificuldades para se locomover. Por isso, é tão importante ajudar o pai a recuperar a audição para mantê-lo conectado ao mundo dos sons.

“No caso de presbiacúsia, o uso do aparelho auditivo é fundamental para reabilitar a audição e, assim, manter as condições cognitivas do cérebro. O aparelho auditivo, ao estimular a audição, auxilia no funcionamento do cérebro em situações relacionadas à atenção, memória, rapidez de raciocínio”, alerta a fonoaudióloga Rafaella Cardoso, especialista em Audiologia da Telex Soluções Auditivas.

A hereditariedade e a exposição frequente a ruídos altos são os principais fatores que contribuem para a perda auditiva. Eduardo Bogaz, otorrinolaringologista da Rede de Hospitais São Camilo, de São Paulo, acrescenta: “Todas as pessoas, após certa idade – a partir dos 40 anos – podem ter um declínio auditivo que faz parte do processo de envelhecimento e que pode ocorrer de forma mais ou menos rápida, dependendo do estado de saúde e de seus hábitos, ao longo da vida”.

Nos tempos atuais, de comunicação e interação cada vez maiores por meio de áudio e vídeo, a quebra do preconceito em relação ao uso de aparelhos de audição é fator primordial para que o homem maduro ou já na terceira idade aceite sua limitação auditiva e procure ajuda especializada para manter-se ativo em sociedade.

“Se a indicação do tratamento for pela adaptação de próteses auditivas, cabe aos fonoaudiólogos selecionar e adaptar o modelo e característica mais adequados para cada usuário. Voltar a ouvir os sons da vida por meio de um aparelho auditivo é o melhor presente que os filhos podem dar a seus pais, tão importante para elevar a autoestima e alegria de viver”, conclui a fonoaudióloga da Telex.

E a tecnologia cada vez mais avançada na área auditiva surge como grande aliada à pessoa com perda de audição. Já existem modernos aparelhos auditivos no mercado, discretos, com excelente qualidade sonora, que melhoram o desempenho auditivo do indivíduo e, o que é ainda melhor, sem constrangimentos, independente do grau da perda auditiva.