Águia ferida

O empresário Carlos Wizard foi blindado pela maioria dos senadores na CPI da Pandemia durante sua discreta passagem na Casa na quarta-feira. Sessão que terminou esvaziada com dois senadores. E a maioria deles elogiosos à sua trajetória, apesar de algumas alfinetadas por sua ligação com o presidente Bolsonaro. Foi o trabalho do advogado criminalista Alberto Toron entre gabinetes, amigo do metiê político de Brasília. Mas não será surpresa se, na próxima reunião de conselho, o grupo americano Pearson, controlador da marca Wizard, aprovar alteração do nome da rede de ensino de línguas para dissociar a imagem do empresário brasileiro que se queimou por aqui.

 

Fritura

O Partido Verde convidou o deputado federal Luís Miranda, já que o comandante do DEM em Brasília, Alberto Fraga, disse que ele é persona non grata.

 

Ninguém quer

Dois seguranças experientes recusaram convite para escolta de Miranda, cientes de que tem fama de mau pagador. E continua sem a Polícia Legislativa também.

 

Passou

As contas do presidente da República foram aprovadas pelo Tribunal de Contas da União, mas com 28 ressalvas. Na visão de palacianos, nada que manche o balanço.

 

Frita

Depois de meses sumido, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), um ex-aguerrido bolsonarista, apareceu gritando na porta do Palácio do Planalto chamando o presidente Bolsonaro para a briga. Nem os seguranças o reconheceram. Ganhou o apelido entre portas de Alexandre Frita. Frita qualquer um que lhe desagradar.

 

Doria aglomerou

Um grupo de deputados estaduais denunciou o governador de São Paulo, João Doria Jr, ao Ministério Público, por promover aglomeração de pessoas em evento em Marília.

 

Copo virado

O proprietário do conhecido Becks Bar, em Curitiba, mudou o nome para Becks Bar Fora Bolsonaro sem medo. “Cliente que apoia genocídio de 500 mil brasileiros não fará falta (…) Eu prefiro falir com dignidade do que ir contra meus princípios”, avisou.

 

E o wi-fi?

A decisão pessoal do empresário lembra o que ocorreu Brasil adentro depois do impeachment de Dilma Rousseff. Muitos bares tinha a senha “Fora, Temer” para wi-fi.

 

Segue o frevo

O senador Humberto Costa (PT) fez um comentário sobre o futuro político da deputada federal Marília Arraes, sua rival. Que ela fizesse campanha para renovar o seu mandato em Brasília. Só que a sugestão não veio de graça e Costa colocou o seu nome à disposição para suceder a Paulo Câmara (PSB), no Governo de Pernambuco – numa aliança PT-PSB. Marília é pré-candidata pelo PT, mas sem compor com os socialistas.

 

Vestindo a camisa

Pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública realizada em maio, ainda inédita, vai trazer interessante revelação: entre as instituições ligadas às forças de segurança, os policiais federais são os mais vinculados às suas entidades sindicais. De acordo com os dados, 75,2% dos agentes integram o sistema sindical.

 

Lisboa-Bahia

O artista plástico português David Arranhado, de passagem pela Bahia, conquistou os locais. Além de obras em Trancoso e Porto Seguro, acaba de concluir um painel de 40 m² na Nuhatê Casa Hotel na praia de Caraíva, litoral sul. David tem obras na Turquia, nos Estados Unidos e na Península Ibérica.