Na manhã de sexta-feira (30), o prefeito Leonaldo Paranhos e o Secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi, assinaram os chamamentos públicos da Política de Assistência Social de Cascavel.

Seis entidades receberam a formalização de parcerias pelas quais Município repassará recursos de R$ 5,5 milhões, em 32 meses, para o atendimento de projetos e programas socioassistenciais. O valor ajuda as instituições a custearem gastos mensais com a folha de pagamento e manutenção.

As entidades beneficiadas são o Abrigo São Vicente de Paulo, Albergue Noturno, Recanto da Criança, Cemic, Guarda Mirim e Provopar.

“São entidades que realizam importantes ações como acolhimento de crianças, adolescentes e idosos, refeições e serviços”, informa o Secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi.

O prefeito Leonaldo Paranhos lembra que o valor financeiro é importante, mas uma cidade inteligente prioriza seres humanos. Ele ressaltou a importância do serviço prestado pelas organizações assistenciais para a comunidade.

“Qualquer obra é admirável, no entanto, atender pessoas que precisam de uma assistência pública é muito valoroso. São milhares de moradores atendidos, gente que é tratada com muito carinho e respeito por essas instituições de caridade. O município não teria condições de fazer essa assistência sozinho”, diz o prefeito Paranhos.

No mesmo ato foram sancionadas leis municipais que alteram a regulamentação dos Fundos da Criança e do Adolescente e também Fundo do Idoso.

“O intuito é a criação do Banco de Projetos. Com isso a pessoa indica pra onde vai o valor que já é pago obrigatoriamente ao Imposto de Renda, ou seja vai para a instituição de afinidade, aquela que ela quiser”, ressalta Hudson.

Assistir Vidas – O Banco de Projetos estará na internet, inserido no portal Assistirvidas.br, ferramenta criada para a Secretaria de Assistência Social (Seaso) com apoio da Secretaria de Comunicação (Secom) do Município de Cascavel para divulgar projetos sociais e estimular doações.

O portal entra em funcionamento na semana que vem e o contribuinte poderá obter informações das entidades e projetos assistenciais de Cascavel, e ainda como destinar o recurso.

A legislação permite que até 6% do chamado “imposto devido” seja convertido em doação no momento da entrega da declaração, desde que você tenha optado pelo modelo completo de tributação.

“Além de comunicar as ações do município, a Secom tem criado soluções para os serviços públicos. Muitas pessoas desconhecem que podem fazer esse direcionamento de imposto. Com a nova lei do Banco de Projetos, o dinheiro pode ir direto para a entidade que a pessoa tem mais afinidade”, explica o secretário de comunicação, Jeferson Lobo.

“Tão logo o site esteja no ar, o cidadão poderá conhecer os projetos para onde vai indicar o percentual do imposto, que obrigatoriamente precisa ser pago por quem faz a declaração de IR completa” diz o secretário de Comunicação.

Mais do que nunca essa arrecadação é necessária pela situação causada pela pandemia. Para doar é preciso avisar o contador e, cabe ressaltar, que nada a mais será pago. A única diferença é o destino.

Cascavel tem condições de arrecadar R$ 19 milhões, no entanto apenas R$ 297 mil chegaram para os projetos em 2019. Qualquer pessoa pode ajudar e não custa nada.

Promover – Outra ação formalizada nesta manhã é o cartão Promover com uma segunda faixa de valor. Criado em 2018 o benefício de R$ 100 atinge R$ 300,00 para as famílias que se enquadram em situação de extrema vulnerabilidade ou vulnerabilidade.

Com o dinheiro, beneficiados podem comprar alimentos, produtos de limpeza ou gás. Para integrar o programa, o perfil da família é avaliado pelas assistentes sociais que vão indicar se o beneficiado receberá a faixa de R$ 100 e R$ 300,00.