Associações comerciais se dividem sobre campanhas de vendas de fim de ano

Após o Dia as Crianças, o comércio se volta para o Natal

Reportagem: Juliet Manfrin 

Foz do Iguaçu – A dois meses e meio para o Natal, as quatro maiores associações comerciais da região oeste do Paraná ainda estão divididas sobre a realização de campanhas promocionais para incentivar as vendas de fim de ano.

Entre aquelas que irão manter os já tradicionais sorteios, a diferença está nos prêmios: algumas com propostas mais robustas e outras com itens mais singelos para tentar beneficiar mais pessoas.

Entre os exemplos de onde não haverá ação promocional está Cascavel. A Acic, com 3,9 mil associados, informou que, após realizar pesquisa com os lojistas, observou baixa adesão e interesse para a campanha. A alegação dos varejistas é que preferem fazer sorteios próprios, tendo assim a certeza de que os contemplados serão clientes seus, dando-lhes a possibilidade de fidelização.

Já na Acifi (Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu), com 1,5 mil conveniados, é onde está a aposta mais alta.

Serão 4,7 mil prêmios, muitos deles instantâneos, e o ponto alto será o sorteio de um carro. Segundo o gerente comercial da entidade, César Ferreira dos Santos, essa ação de fim de ano é “imprescindível e indispensável”. “Atrai mais clientes e aumenta as vendas. A campanha de fim de ano não pode deixar de existir”, reforçou.

Essa cultura na fronteira tem sido tão forte que nos últimos três anos a associação voltou a encampar promoções próprias, voltadas exclusivamente para o Município. Antes, a participação ocorria em sorteios estaduais. “Essa é a campanha Natal Encantado de Foz do Iguaçu. A partir de 11 de novembro, quem comprar acima de R$ 50 vai receber uma raspinha e estará concorrendo aos prêmios, os instantâneos e os do sorteio, como o carro e os 15 televisores”, seguiu.

Mistério

Em Toledo, a Acit ainda faz mistério sobre os atos promocionais. De certo, o que se sabe é que ela vai ocorrer.

Segundo a coordenadora do setor de promoções, Joice Viviane Timm, o lançamento oficial para os lojistas será no dia 30 de outubro e para os consumidores logo no início de novembro. “Por enquanto estamos trabalhando na regulamentação do sorteio com o órgão responsável, mas a campanha de Natal da Acit é a maior entre as que realizamos durante todo o ano, não pode deixar de existir”.

Na Acimacar (Associação Comercial e Industrial de Marechal Cândido Rondon) a aposta feita nos últimos anos será mantida em 2019. Em vez de prêmios maiores, o sorteio vai ser com vales-compra que variam de R$ 300 a R$ 2 mil.

Quem fizer compras no comércio local a partir de 18 de novembro vai concorrer aos vales. Serão três sorteios e o último deles será em 26 de dezembro. “Teremos 150 vales-compra. É a possibilidade de mais pessoas serem contempladas, em vez de apenas uma quando se sorteia um carro, por exemplo. Temos feito assim nos últimos anos e tem dado certo”, garante a assistente de feiras e eventos Julia Gabriela Battisti Neuberger.

Com 1,8 mil associados,, a maioria está no comércio varejista, de onde sairão os cupons promocionais em Marechal Rondon.


Aposta no Cadastro Positivo

O foco de todas as associações, claro, são as vendas neste que é o principal período para o varejo brasileiro. Nem elas nem os especialistas desejam comercializações impulsivas e que não caibam no bolso.

A economista Regina Martins considera que, neste ano, a expectativa de venda deve ser um pouco melhor que as registradas nos últimos três anos. “Aos poucos as pessoas estão perdendo o medo de ficarem desempregadas, estão um pouco mais otimistas, isso faz com que se sintam mais tranquilas para gastar”, analisa. “Mas isso deve ser analisado com cautela. As famílias seguem muito endividadas. Tanto para quem não estiver com contas pendentes quanto para quem as tenha, a regra é comprar com consciência, de modo que caiba no bolso, evitando as contas impagáveis”, alertou.

A economista lembra que, após o Dia das Crianças, o comércio se volta inteiramente para o Natal e o Ano-Novo. “É importante segurar as emoções em vez de sair comprando… isso beneficia tanto o lado do lojista quanto do consumidor. O mau pagador deixa o lojista em uma situação muito difícil também. Então é preciso racionalidade”, completou.

Para o presidente do Sindilojas (Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Cascavel e Região Oeste do Paraná), Leopoldo Furlan, o Natal deste ano deve mesmo ser melhor que o dos anos anteriores. E tem ainda a Black Friday, já considerada um sucesso de vendas, no fim de novembro.

Para Furlan, os principais beneficiados serão os bons pagadores após a reestruturação do Cadastro Positivo. “Por muito tempo não havia crédito disponível ou os juros eram muito elevados. Agora o Cadastro Positivo vai definir mais crédito e juros menores àqueles que pagam suas contas em dia. Isso é muito importante e o comércio precisa de movimento assim, com crédito a quem realmente paga”, destacou.

 



Fale com a Redação

9 − 3 =