O Aeroporto Municipal de Cascavel perdeu 108,9 mil passageiros nos últimos três anos. Em 2015 passaram pelo aeroporto 245,4 mil pessoas, entre embarques e desembarques. Foi o melhor ano da história.

Neste ano, até 30 de novembro, o movimento é de 136,4 mil, 44,4% a menos.

Segundo a Cettrans (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito), que administra o aeroporto, essa queda aconteceu devido à saída da Passaredo em 2016 por problemas judiciais. Com isso, caiu drasticamente o número de voos e opções de destinos.

Para se ter uma ideia, em 2014 houve 10.790 pousos e decolagens e, em 2015, foram 10.292. Hoje não chega a 9 mil. Naquele período, havia voos diretos e diários para Curitiba, Campinas e Guarulhos (SP) e até para o Mato Grosso. Hoje, só com a Azul, ficaram dois destinos: Curitiba e Campinas e em menos horários. “Na época do pico, havia de dez a 12 voos diários. Hoje são cinco voos por dia”, diz o presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro.

Incerteza e poucos horários

O diretor da Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel), Siro Canabarro, afirma que a incerteza do pouso e os poucos horários disponíveis são os principais fatores para a redução de passageiros.
“De maio a julho sempre há muitos voos cancelados. Enfim, são vários fatores que, juntos, fazem os passageiros irem a Foz do Iguaçu”.

Canabarro usa o aeroporto de Cascavel pelo menos umas 50 vezes por ano especialmente devido ao trabalho. “Eu que uso bastante o terminal sei bem como é. Precisamos terminar as obras do novo terminal, receber grandes aeronaves e trazer mais comodidade ao passageiro. Só assim o fluxo vai aumentar”.

Movimentação de Passageiros
Ano Movimento
2009 55.648
2010 76.149
2011 50.639
2012 169.478
2013 163.384
2014 236.845
2015 245.452
2016 195.200
2017 169.859
2018 136.473 (até novembro)
Fonte: Cettrans
Pousos e decolagens
Ano Movimento
2009 7.102
2010 7.721
2011 5.475
2012 9.729
2013 8.207
2014 10.790
2015 10.292
2016 8.633
2017 8.922
2018 7.029 (até outubro)
Fonte: Cettrans