O número de internamentos de pacientes no Pronto Atendimento Municipal Doutor Jorge Nunes (PAM/Mini Hospital), com o atendimento da população regional motivou um encontro entre os prefeitos e secretários de Saúde de Toledo, São Pedro do Iguaçu, São José das Palmeiras e Ouro Verde do Oeste e representantes do Consórcio de Saúde dos Municípios do Oeste/PR (Consamu). Os quatro municípios, além de Diamante do Oeste, integram o grupo de cidades atendidas pela Unidade Pronto Atendimento Doutor Ivo Alves da Rocha (UPA) em Toledo.

Com a pandemia, os pacientes oriundos dessas localidades são encaminhados pela regulação do SAMU para o PAM, uma estrutura pertencente a Toledo e mantida com recursos próprios. “A pandemia alterou os fluxos e não é possível encaminhar pacientes com sintomas gripais para a UPA na Vila Becker e o PAM acabou se tornando a referência para este atendimento”, explicou a secretária de Saúde, Gabriela Kucharski.

Com o agravamento dos casos, a permanência dessas pessoas no Mini Hospital se tornou mais longa, expôs o prefeito Beto Lunitti. “De forma nenhuma vamos negar o acolhimento a estes pacientes, mas quando chegamos a situação em que estamos neste momento, com falta de leitos, com muitos intubados, percebemos que nossas estruturas são finitas”, disse. Lunitti ainda reforçou que não há diferenciação entre os atendimentos prestados aos pacientes de Toledo e os de outros municípios.

Os prefeitos se mostraram sensibilizados com a situação. “Entendemos estas colocações do prefeito [Beto Lunitti]. Vamos buscar achar um caminho, dentro da legalidade, pois são vidas sendo cuidadas. Vocês têm a estrutura e precisamos trilhar um caminho juntos neste momento difícil”, afirmou o prefeito de Ouro Verde do Oeste, Lucian Aluísio Dierings (Gugu). Além dele, o prefeito de São Pedro do Iguaçu José Aroldo Malvestio e o vice-prefeito de São José das Palmeiras Franco Maria Alves Cabral, que representou o prefeito Nelton Brum, internado com Covid-19, participaram do encontro.

O vice-prefeito toledano, Ademar Dorfschmidt, se propôs a fazer uma visita às Câmaras de Vereadores da região com o intuito de sensibilizar os legisladores sobre a situação dos atendimentos de Covid-19 na região.

Sobre o encaminhamento dos pacientes para o PAM, de acordo com o diretor do Consamu, João Gabriel Avanci, a regulação vai buscar “a porta onde ela estiver aberta. O Samu não é irresponsável de largar o paciente em um local que não tem condições mais de receber. Se precisar, vamos manter na ambulância, com todos os cuidados. É um esforço conjunto, com todos fazendo sua parte, como Toledo está, como outros municípios estão. Neste momento a dificuldade maior é aqui, então vamos buscar a solução para cá”, salientou.