Medo do quê?

Dono de TVs e rádios no Paraná, o candidato Ratinho Jr. está desestimulando os debates entre os candidatos ao governo. Carlos Ratinho está cada vez mais surpreendente. Se recusa a debater, das duas, uma: ou está com medo dos embates (nos quais tem sido muito associado a Beto Richa), ou não tem muito o que dizer. Nos dois casos passa má impressão, adicionado ao fato de ser dono de empresas de comunicação – que, aliás, não programaram debate para este ano.

Custo

Em sua defesa, Ratinho diz que a estratégia é apenas por uma questão de custos e de falta de tempo.

Atrás de respostas

Ainda assustados com a queda de 30% no repasse de royalties da Itaipu, apesar do aumento de 20 pontos percentuais (passando de 45% para 65%) em julho, a presidente do Conselho dos Municípios Lindeiros e prefeita de Mercedes, Cleci Loffi, encomendou um estudo dos valores que foram repassados ao governo do Estado e aos municípios nos meses de julho e agosto. Ela quer saber se por lá o repasse também despencou.

Na pressão

Após o levantamento desses dados, o Conselho de Lindeiros querem agendar uma reunião com a Itaipu e com representantes da Aneel para tirar as satisfações.

Isentos

Em Foz do Iguaçu, para garantir condições de igualdade a toda a população para a participação em concursos públicos, o Ministério Público do Paraná recomenda alteração na lei que regulamenta os critérios para a isenção da taxa de inscrição nos certames promovidos no Município.

Quem pode

O MP quer que se inclua como critério de isenção “candidatos que pertençam a família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal e os candidatos doadores de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde”. Atualmente, o expediente municipal garante a liberação da inscrição apenas a doadores de sangue regulares.

Crédito

Já em Guaraniaçu, a pauta da Câmara foi remanejamento de recursos no valor de R$ 1 milhão no orçamento do Município. A abertura de crédito é para custeio de diferentes despesas do Executivo, inclusive a folha do funcionalismo municipal.

Habemus Ogier

A candidatura de Ogier Buchi, do PSL (Partido Social Liberal), ao cargo de governador do Estado Paraná foi confirmada pelo Tribunal de Justiça Eleitoral na terça-feira (21). O vice será Bruno Santarosa, também do PSL. A situação do candidato estava ameaçada por desentendimentos interno dentro do próprio partido.

Desprezado

Ogier é do mesmo partido do presidenciável Jair Bolsonaro mas não teve sua candidatura registrada pelo partido dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral, porque Bolsonaro manifestou voto em Ratinho, que, por sua vez, disse votar em Alvaro Dias (Podemos). Bom, sem apoio, Ogier realizou o registro pessoalmente. “O partido não fez o registro e, então, fui lá e fiz”.

Rejeitados I

Já entre os presidenciáveis a coisa anda mais que feia. Levantamento do Barômetro Político Estadão-Ipsos avaliou 17 nomes de destaque no cenário nacional e divulgou o ranking nada amistoso.

Rejeitados II

O tucano Geraldo Alckmin é o que possui maior índice negativo, com 70%. Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 65%; Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSL) com 61%; Henrique Meirelles (MDB) tem 60%; o ex-presidente Lula tem 51%; Alvaro Dias (Podemos) tem 48%; Guilherme Boulos (Psol) tem 47% e João Amoêdo (Novo) tem 44%.

Mas tem pior

Quem lidera mesmo o ranking de desaprovação é o presidente Michel Temer (MDB), com 94% de avaliação negativa sobre sua atuação no País. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso aparece em 2º lugar, com 74% de desaprovação.

O que é

O Barômetro Político integra o estudo Pulso Brasil realizado mensalmente pela Ipsos. A pesquisa entrevistou presencialmente 1.200 pessoas em 72 cidades do Brasil entre 1º e 11 de agosto. A margem de erro é de três pontos percentuais.