Editorial do dia 07 de maio de 2019

Por Carla Hachmann

“O Brasil de julho em diante está crescendo de novo”

Após o novo corte significativo do mercado sobre a estimativa de crescimento da economia para este ano, o ministro da Economia, Paulo Guedes, garantiu que o Brasil voltará a crescer a partir de julho. “Assim que forem aprovadas as reformas, o Brasil retomará o seu caminho de crescimento sustentável. Não há novidade nenhuma nessa desaceleração econômica, o Brasil está prisioneiro de uma armadilha de baixo crescimento e nós vamos escapar com as reformas”, afirmou Guedes, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, e acrescentou: “O Brasil de julho em diante está crescendo de novo”.

Guedes faz bem seu papel ao manter o otimismo e trazer dados mais reais à economia. Não é por falta de esforço que as coisas não andam. É preciso que cada um faça sua parte. E, neste momento, a concentração está em torno da primeira reforma que abrirá caminho às demais.

A preocupação é não meter os pés pelas mãos. Precisamos crescer, mas não dá para jogar tudo para o alto e criar outra bomba igual à armada antes das eleições de 2014. É preciso cautela para sobrevivermos amanhã.

Ninguém quer ver a inflação disparando ou as taxas de juros (que recuaram pouco até agora) voltarem a crescer.

Os pilares da economia são importantes e precisam ser respeitados. Mais vale um crescimento sustentável a ritmos modestos que um salto que vai cair num poço.

O Brasil tem muitos déficits a sanar. E urgentes. Todos dependem do crescimento econômico. E este precisa da aprovação das reformas da Previdência e tributária. A receita está dada. Basta pôr a mão na massa.

 

 



Fale com a Redação

um × 2 =