Pouco mais de uma semana após assumir o Palácio do Iguaçu, Cida Borghetti (PP), governadora do Estado, recebeu a cobrança de implantação de uma UPS (Unidade Paraná Seguro) no Bairro Santa Cruz. O projeto rejeitado pelo ex-governador, Beto Richa (PSDB) – que privilegiou amarras políticas com Valdir Rossoni (PSDB) – agora tende a sair do papel atendendo as necessidades de segurança pública da zona oeste de Cascavel.

O vereador Alécio Espínola (PSC), defensor da obra desde 2015, levou o projeto debaixo do braço logo na primeira visita de Cida como governadora a Toledo. Embora a conversa tenha durado poucos minutos, as afirmativas foram significativas, conforme o parlamentar. “As palavras dela foram objetivas: ‘Se tiver estrutura a UPS será autorizada’. Foi o suficiente para ficarmos muito animados. Ela, inclusive, já tinha conhecimento de nossa reivindicação. Quando era vice-governadora, já havíamos pedido apoio”, afirma Espínola.

O documento com estatísticas que comprovam a necessidade de implantação no Bairro Santa Cruz – e não no Bairro Tropical – também foi repassado a coronel Audilene Rocha, comandante da Polícia Militar do Paraná.

Período eleitoral

Em função do período eleitoral, o deputado estadual, Adelino Ribeiro (PSL) – apoiador da proposta – corre contra o tempo para encontrar um imóvel apropriado para a implantação da UPS. Uma audiência pública será marcada para os moradores da zona oeste se manifestarem nesta semana. “É possível construir uma UPS em 100 dias. Vamos definir a área e correr atrás do que precisamos”, diz o deputado. Três áreas são cogitadas para a implantação.