Rua Granada virou lixão a céu aberto

Restos de construção e roupas são os descartes mais frequentes

Reportagem: Milena Lemes

Os moradores da Rua Granada, no Bairro Esmeralda, zona sul de Cascavel, convivem diariamente com um verdadeiro lixão a céu aberto.

No fim da rua existem três terrenos baldios que viraram depósito dos mais diversos entulhos, desde sapatos, roupas, eletrônicos, brinquedos, sacolas plásticas, restos de construção… até uma cadeirinha bebê-conforto e um capacete foram jogados ali.

O aposentado João Raimundo dos Santos conta que a prefeitura recolheu o lixo várias vezes, mas que as pessoas voltam a jogar. Eles mesmo já flagrou um morador fazendo o descarte irregular: “Eu falei que ele não podia jogar o lixo ali, mas ele me disse que eu não tinha nada a ver com a situação”, lembra.

João revela que, depois do ocorrido, ficou com medo de denunciar o problema. “Nós não conhecemos as pessoas só de olhar… alguma coisa ruim poderia acontecer comigo só por eu ter falado para ele não jogar o lixo ali”.

O morador cita ainda que a situação é incômoda, pois insetos saem dos lixos e entram em casa, como ratos e baratas.

Coisa frequente

O diretor da Secretaria de Meio Ambiente de Cascavel, José Luiz Ferreira, conta a secretaria é procurada frequentemente para recolher o lixo daquele local. “Nós fizemos uma limpeza há pouco tempo, mas o descarte é grande e temos dificuldade em identificar o agente causador, pois as pessoas jogam o lixo durante a noite”.

De acordo com ele, se uma pessoa for flagrada fazendo o descarte incorreto de materiais, pode ser aplicada uma multa que pode chegar a R$ 500 milhões, conforme o resíduo.

Mutirão de limpeza

De acordo com o gestor do Território Cidadão, José Carlos da Costa, o Cocão, o Mutirão de Limpeza Cidade Limpa passou pelo local no início do ano e recolheu todo o lixo que foi encontrado. “Depois do mutirão nós passamos lá mais duas vezes, mas as pessoas voltaram a jogar”.

 



Fale com a Redação

um × 1 =