Foz do Iguaçu – O processo conta o Presidente do Comus (Conselho Municipal de Saúde) de Foz do Iguaçu Antonio Sadi Buzanelo teve esta semana a apresentação de manifestação das partes diante do processo de execução da sentença da ação popular (acatada pelo Tribunal de Justiça) que pedia a anulação da nomeação de Sadi como presidente do COMUS em 2013, para o mandato 2014/2015.

De acordo com a advogada de Sadi, Natália Peres foi solicitado ao juiz a extinção do processo, já que o pedido da ação é a anulação da nomeação para um mandato que não existe mais, visto que atualmente Sadi já cumpre outro mandato atualmente.

Ainda de acordo com Natália, o advogado Túlio Bandeira que representa a outra parte (que ingressou com a ação) solicitou o cumprimento da sentença, ou seja, a anulação da nomeação de Sadi como presidente do COMUS e o pagamento dos horários advocatícios referentes ao processo.

Ambas as partes aguardam agora o parecer do Juíz Rodrigo Luiz Giacomini, da 1ª Vara da Fazenda de Foz do Iguaçu. Que pode ou não solicitar parecer do MPPR (Ministério Público) para o processo. De acordo com Natália, qualquer que seja a decisão cabe recurso de ambas as partes já que é um novo processo (de execução de sentença).

A ação

A Ação Popular, proposta por Marcia Eliane Gonçalves, foi por conta de condenações de Sadi por improbidade administrativa por dispensa de licitação indevida na compra de medicamentos enquanto secretário de Saúde do município. O juiz doTJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná), Hamilton Rafael Marins Schwartz, acatou os argumentos da ação contra Sadi Buzanelo, que foi nomeado presidente do Comus em dezembro de 2013.