Em 11 meses, 1.108 denúncias foram oferecidas pelo Ministério Público de Cascavel de casos de violência contra a mulher. O dado é da 15ª Promotoria Pública, que atua nesses casos.

Mesmo com o aniversário de 12 anos da Lei Maria da Penha, comemorado hoje, a maioria das denúncias é feita apenas quando há lesão corporal, que é considerado estágio avançado de violência.

Das denúncias oferecidas que se transformam em ações penais, 510 foram de lesão corporal nesse mesmo período considerado pelo Ministério Público, o que reforça essa tese. “Quando chega à Justiça, a questão já ficou insustentável. Muito difícil serem registrados casos na primeira vez que acontece a agressão”, afirma a psicóloga Caroline Buosi Velasco, que, em parceria com a advogada Edinéia Sicbneihler, desenvolve um projeto nos colégios estaduais de Cascavel para conscientização dos adolescentes sobre violência contra a mulher.

“Palestrando sobre o assunto, ressaltamos os tipos de violência. Temos muitos casos, inclusive, que são relatados principalmente pelas meninas quando identificam que isso ocorre com a mãe ou com alguém da família”, relata Edinéia.