Morte de adolescente que conheceu assassino no Facebook comove Argentina

micaela ortega.jpg

Centro Optico Parana

BUENOS AIRES – A Argentina está comovida com o assassinato de Micaela Ortega, uma adolescente de 12 anos encontrada morta no final de semana, após permanecer 35 dias desaparecida. Segundo fontes oficiais, ela conheceu o assassino no Facebook.

De acordo com as autoridades, o assassino confesso contou que entrou em contato com Micaela pelas redes sociais e se passou por uma garota, com o objetivo de violá-la. A menina, que morava com os pais em Bahia Blanca, 700km ao sul de Buenos Aires, saiu de casa no último dia 23 de abril e nunca mais voltou.

O corpo foi encontrado na noite de sábado para domingo, depois de uma ofensiva na casa de Jonathan Luna, de 26 anos, que confessou o crime e indicou o lugar onde estava o corpo de Micaela, segundo Emiliano Álvarez, secretário de Segurança de Bahia Blanca.

Alguns dias atrás, imagens de câmeras de segurança mostraram a menina com um homem, que foi indicado como parceiro de Luna. Álvarez disse que o assassino foi localizado graças à cooperação da Embaixada dos Estados Unidos e de dados de contas do Facebook.

O promotor que investiga o caso, Rodolfo De Lucia, contou à imprensa que Luna convenceu Micaela a acompanhá-lo, dizendo que a levaria para a casa de uma amiga, a mesma que o assassino inventou no Facebook.

? Eu a matei porque ela não queria ter relações sexuais comigo ? informou Luna de acordou com o portal de notícias de Bahia Branca.

Foram descobertos vários perfis falsos de Luna no Facebook. Ele estava cumprindo pena por roubo, mas escapou durante uma saída temporária da prisão. Após a localização do corpo de Micaela, centenas de moradores marcharam para exigir justiça. Cinquenta vizinhos, indignados, incendiaram a casa de Luna na periferia de Bahia Branca.

? Ela foi encontrada com as mãos atadas, as pernas cruzadas e a mesma roupa que vestia quando saiu de casa ? disse Álaverez.

Mosquito da dengue nas áreas externas

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação