Morre Adelzonilton, autor de ?Malandragem dá um tempo?

RIO – Morreu nesta terça-feira, de um ataque cardíaco fulminante, o compositor Adelzonilton Barbosa da Silva, aos 73 anos, em sua casa em Mesquita. Apesar do nome pouco conhecido fora do meio do samba, ele compôs diversas canções famosas na voz de Bezerra da Silva ? entre elas, o clássico ?Malandragem dá um tempo? (parceria com Popular P. e Moacyr Bombeiro), também gravada pelo Barão Vermelho.

Suas composições tratavam do universo da malandragem da favela ? com um cenário formado por samba, bocas de fumo, polícia, alcaguetes, tudo temperado com humor. Alagoano, Adelzonilton veio para o Rio aos 4 anos. Aos 9, já vendia balas nos trens da Central para ajudar a mãe. Seu interesse pela música vem desde a infância, quando ele gostava de observar um homem tocando violão num bar. Um dia, o dono do bar apresentou-o ao músico ? Nelson Cavaquinho, que se tornaria seu amigo.

Seu primeiro samba gravado por Bezerra (e sua primeira composição) foi ?Pode acreditar em mim?, registrado no disco ?Samba, partido e outras comidas?, de 1981. Depois, o cantor gravaria outras dele (só ou com parceiros), como ?Partideiro indigesto?, ?É o bicho, é o bicho?, ?Se não fosse o samba…?, ?Eu não sou santo?, ?Grampeado com muita moral?, ?Partideiro sem dó na garganta?, ?Defunto caguete?, ?Eu não sou santo?, ?A fumaça já subiu pra cuca?. Mesmo quando Bezerra gravou discos gospel, Adelzonilton continuou presente, em canções como ?Achei a vida? e ?Senhor, ilumine meus caminhos? ? em 2004, ele próprio se converteu e passou a assinar Adelzo Nílton.

O enterro será às 14h desta quarta, no Cemimtério Municipal de Mesquita.



Fale com a Redação