Meio ambiente: o que podemos fazer por você

Por Carla Hachmann

Há 37 anos, o mundo voltava seus olhos para o Brasil, mais especificamente a Rio 92, que reuniu mais de 100 chefes de estado para discutir um mundo mais autossustentável. Um conceito novo na época, que prometia mudanças para salvar o Planeta Terra.

Chegamos a mais um Dia Mundial do Meio Ambiente e, novamente, em momento crítico. Ou melhor, não saímos dele desde os anos 90, por mais que os ânimos estivessem voltados para isso.

E, como sempre, a mesma mensagem: É preciso agir e agir agora, para minimizar os impactos da sociedade de hoje sobre as futuras gerações.

Passadas essas quase quatro décadas, hoje o conceito de autossustentável é tratado desde a educação infantil, mas parece que ainda não aprendemos.

Tanto, que a discussão do momento são os agora odiados canudinhos de plástico. Sempre encontramos um vilão, porque é mais fácil de pôr a culpa em algo ou alguém do que admitir que os culpados somos nós mesmos.

É o homem quem degrada, depreda, destrói. É o homem que consegue fazer mais estragos que tsunamis e tornados juntos. É o homem que não consegue aprender a respeitar.

Dizem que a natureza está inquieta com alguns atos de fúria, mas nem na sua maior ira consegue “compensar” todo o mal que lhe fazemos.

E não é por falta de saber. Afinal, quem ainda não sabe que lixo se joga no lixo? Que queimadas são perigosas e devem ser evitadas? Que o desmatamento precisa ter planejamento e, especialmente, reflorestamento? Que encostas de rios precisam ser cuidadas? Que a água que sujamos é a mesma água que bebemos… e por aí vai. Sabemos. Isso que é o pior.

Acreditamos que a natureza continua sendo a “mãe” e que jamais irá nos faltar.



Fale com a Redação

dezenove + 16 =