Após meses de muita reclamação, aos poucos a cidade volta a ficar iluminada. O Mutirão Cascavel Iluminada, lançado dia 18 de maio, trocou mais de 8,3 mil lâmpadas em dois meses.

De acordo com a Secretaria de Obras, no início do mutirão, 6 mil postes de luz foram encontrados com problemas de iluminação. Outros 900 postes identificados ainda não tiveram as lâmpadas substituídas.

Em alguns locais que o mutirão já passou, o problema voltou. Caso da estudante Paulini Biavatti, que mora na Rua Alvorada, no Bairro Brasmadeira, que já foi visitado pela equipe da secretaria. “Em três postes seguidos não há luz. Quando eu chego da faculdade só dá para ver a rua com a luz do carro”, reclama.

Problema, porque, segundo a Secretaria de Obras, o mutirão não voltará às regiões por onde já passou. Nesse caso, o jeito é recorrer à Ouvidoria 156 e ao Particity. E ter paciência, porque são registrados cerca de 90 lâmpadas queimadas ou outros problemas de iluminação por dia.

Regiões atendidas

Conforme a Secretaria de Obras, o Mutirão Cascavel Iluminada já passou pelas regiões sul e oeste da cidade. E parte da região norte também já foi atendida.

Na região central, o Bairro Country foi atendido da Rua Paraná até a BR-467. O Bairro Pacaembu e os loteamentos Nova York e Gramado também já foram atendidos. O mutirão passou também pelos distritos de Rio do Salto e Juvinópolis.

Superávit de iluminação

De acordo com a Secretaria de Finanças, Cascavel arrecada por mês cerca de R$ 1,7 milhão com a taxa de iluminação pública. O valor é usado para pagar o consumo de energia – em torno de R$ 1,050 milhão – consumida em ruas e praças públicas, e o restante é utilizado para despesas de operação, custeio e investimentos nessa área. Apesar da demanda, há um saldo de R$ 16,660 milhões nessa conta.

Reportagem: Milena Lemes