Fura-fila multado

O secretário de Saúde de Quatro Pontes, Marco Antonio Wickert, foi multado em R$ 15 mil por furar a fila de vacinação contra a covid-19. Segundo o MP-PR (Ministério Público do Paraná), o secretário fez um acordo com a Promotoria, mas perdeu os direitos políticos por um ano porque tomou a dose da vacina ilegalmente em março. A multa será paga em 15 parcelas de R$ 1 mil e o valor será destinado para o combate ao coronavírus na cidade. O secretário disse que considera a decisão injusta, mas que está com a consciência tranquila.

 

Menção honrosa I

A Secretaria de Saúde de Cascavel receberá duas menções honrosas da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) e do Ministério da Saúde. O reconhecimento será oficializado no dia 16 de julho e destaca Cascavel pelas ações de enfrentamento à covid-19. De 1.471 práticas inscritas por municípios de todo o Brasil, foram reconhecidas dez do Paraná, duas delas de Cascavel.

 

Menção honrosa II

Cascavel foi reconhecida pela organização da assistência farmacêutica na atenção primária, no período de emergência em saúde pública, quando medicamentos eram entregues para pacientes crônicos na própria residência. A atuação do assistente social aliado ao uso das tecnologias no combate a covid-19 também foi reconhecida.

 

Sem rock, baby

A Câmara de Cascavel apreciou ontem (12) o Projeto de Lei 99/21, que inclui no calendário oficial de eventos do Município o Dia Municipal do Rock, a ser comemorado em 13 de julho, no Dia Mundial do Rock. Para surpresa do autor Serginho Ribeiro (PDT), o projeto recebeu cinco votos contrários: Celso Dal Molin (PL), Cidão da Telepar (PSB), Josias de Souza (MDB), Romulo Quintino (PSC), Valdecir Alcântara (Patriota).

 

Antes do recesso

Com a divulgação do calendário dos depoimentos da CPI da Covid desta semana, a defesa do deputado Ricardo Barros (PP) reforçou o pedido ao STF para que o depoimento ocorra até sexta-feira (16). Levantamento feito pela defesa aponta que o parlamentar já foi citado ao menos 96 vezes na CPI. A defesa afirma que, sem ordem judicial, o deputado não conseguirá se defender na CPI antes do recesso parlamentar, que se inicia dia 17. A CPI tem dito que não vai parar no recesso.

 

“Agora é a hora”

O senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) disse acreditar que “agora é a hora” de incentivar o ex-juiz da Lava Jato a concorrer em 2022. “Eu e muitos senadores temos tentado falar com o Sergio Moro e pedido a ele que aceite ser candidato. Até agora, ele não disse ‘não’, mas também não disse ‘sim’. Prometem, falam, insistem que Moro não será candidato. Não é verdade! Moro ainda não se definiu. Isso nos deixa com as mãos amarradas, mas todos os que puderem fazer campanha para o Moro ser candidato, a hora é agora”, disse.

 

Apoio de médicos

Inspirados pela iniciativa, um grupo de médicos paranaenses começou a se organizar em apoio à candidatura de Moro como terceira via nas eleições de 2022. “Nascido” no sábado, até ontem já tinha mais de 200 adesões de profissionais de várias partes do País. Além de apoiar Moro em uma eventual candidatura à Presidência, “o objetivo do grupo também é servir de inspiração para que outros setores da sociedade civil organizada abracem o nome de Moro e participem dessa corrente, pedindo a Moro que aceite ser candidato”, dizem. “A corrupção é um ‘câncer’ no País e precisamos de uma liderança que de fato esteja disposta a combater esse mal”, acrescentam. A participação pode ser solicitada pelo e-mail: [email protected].