Governo entrega casas e autoriza regularização de lotes no Oeste

100 famílias de Marechal Cândido Rondon receberam as chaves da casa própria. Além disso, foi autorizada a regularização de 780 lotes urbanos no município e em Lindoeste, Mercedes, Ramilândia, Santa Helena e Três Barras.

O Governo do Paraná entregou nesta segunda-feira (15) as chaves da casa própria para 100 famílias de Marechal Cândido Rondon (Oeste). O investimento, de R$ 7,5 milhões, foi feito em parceria com o Governo Federal, via Caixa Econômica Federal, e a prefeitura do município.

Na mesma solenidade foi dada a ordem de serviço para a regularização de 780 lotes urbanos em Marechal Cândido Rondon, Lindoeste, Mercedes, Ramilândia, Santa Helena e Três Barras. O projeto faz parte do programa Morar Legal Paraná, da Cohapar.

Os documentos foram entregues para as famílias pelo diretor de obras da Cohapar, Ademir Bier. “Esse governo foi concebido para cuidar de gente, de pessoas. É uma determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior. Estamos aqui para atender a um pedido antigo da região”, destacou Bier.

Os recursos foram viabilizados por meio do programa Minha Casa Minha Vida, utilizados para subsidiar até 90% do valor dos imóveis. Com os aportes, as famílias selecionadas pelo projeto, que possuem renda mensal máxima de R$ 1.800, pagarão prestações que vão de R$ 80 a R$ 270 ao mês durante 10 anos de financiamento. As casas possuem 43 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço externa.

ALÍVIO NAS CONTAS – A emoção pela conquista da nova casa marcou o evento com as 100 famílias de Marechal Cândido Rondon. A partir de agora, elas são as proprietárias dos imóveis do Residencial Sol Nascente.

Segundo a auxiliar de cozinha Jandira Araújo, de 35 anos, o fim do aluguel e o alívio nas contas será reinvestido em melhorias do recém-conquistado patrimônio da família. “Eu pago R$ 700 de aluguel e agora vou pagar R$ 135 de prestação pela casa e com a diferença eu quero ir aumentando a casa aos poucos”, conta.

Para ela, o processo foi extremamente rápido. “Eu fiz minha inscrição e três meses depois eu soube que havia sido contemplada, foi uma surpresa”, relata. “Eu vim várias vezes aqui acompanhar a obra junto com os meus filhos, estamos todos ansiosos pela mudança”, finaliza Jandira.

Outra beneficiada é a dona de casa Agostinha Garcia, 54, que aguardou muito por este momento. “Era um sonho de muito tempo conseguir a minha casa, porque nunca tive condições de comprar uma sozinha, então sempre sofri muito”, revela. “Depois que me falaram que eu tinha sido contemplada eu nem dormi a noite, eu e minha família estamos muito contentes”, comemora.

Mônica Eduardo dos Santos Becker Schlosser, de 21 ano, estava feliz porque vai poder economizar o dinheiro que gastava com aluguel, de cerca de R$ 450, sobrando mais recursos para custear o tratamento do filho pequeno, de dois anos, que nasceu com paralisia cerebral. “É muita alegria, uma emoção muito grande. Faz um tempinho que estava esperando, por isso se trata de uma conquista muito grande”, disse.

A economia estimada pela dona de casa Patrícia da Silva Better, 28 anos, é de pelo menos R$ 500 com o fim do aluguel. Dinheiro que, além das prestações da casa, ajudarão na criação dos cinco filhos pequenos. “Estou muito feliz, é a minha primeira casa própria. Fui conhecer e adorei. Tenho certeza que poderei dar mais segurança para os meus filhos”, afirmou. “É importante também quando o Governo do Estado olha para quem mais precisa”, completou.

ECONOMIA DE ENERGIA – Todas as unidades contam com sistema de aquecimento solar, para redução dos custos com a conta de luz. A própria instalação dos padrões de energia elétrica foi feita sem custo aos proprietários graças à participação da Copel.

MORAR LEGAL – Os lotes que serão titulados nas seis cidades do Oeste estão em situação irregular. Serão investidos R$ 429 mil em recursos do tesouro estadual para o pagamento à empresa especializada contratada via licitação para a execução do serviço. No prazo de 18 meses, os técnicos da empresa, supervisionados pela Cohapar, farão todo o trabalho documental para que os moradores de imóveis sem registro tenham o direito de propriedade reconhecido e assegurado.

O programa Morar Legal Paraná é financiado com recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, que oferece condições facilitadas e custos reduzidos para as famílias que aderirem ao serviço. O investimento por parte do governo estadual é de R$ 429 mil, ou R$ 550 por imóvel regularizado.

Com a regularização por meio da Cohapar, feita com preços muito abaixo dos praticados pelo mercado, as famílias têm o reconhecimento de propriedade e podem contrair financiamentos, comercializar ou transferir o imóvel e investir em melhorias de suas residências com segurança jurídica. O prazo de execução do serviço é de 18 meses.

Segundo o diretor de regularização fundiária da Cohapar, Luís Corti, o programa da companhia está alinhado com a gestão estadual no sentido de desburocratizar e facilitar o acesso da população aos serviços públicos. “É um processo de transformar uma simples ocupação em propriedade, levando dignidade e segurança para as famílias, além de valorização do imóvel”, ressaltou.

Atualmente, cerca de 35 mil famílias de 74 municípios paranaenses estão sendo beneficiadas com o programa. Os investimentos nos projetos chegam a R$ 24 milhões, com perspectiva de ampliação para os próximos anos. Está em processo de licitação pela companhia o atendimento a outras 7.692, em 21 municípios, totalizando investimento de mais R$ 5,4 milhões.

APOIO DO ESTADO – Prefeito de Marechal Cândido Rondon, Márcio Rauber exaltou a parceria com o Governo do Estado que permitiu melhorar as condições de vida dos moradores da cidade. “É um governo que tem sensibilidade. A parceria nos permite atender o real interesse da população ”, ressaltou. “Desde que entrei na prefeitura, brigo por isso. A regularização de um lote é muito importante. Quem mora em um terreno sem documentação não pode fazer nada”, acrescentou Hélio Bruning, prefeito de Três Barras do Paraná.



Fale com a Redação

treze − treze =