A Secretaria da Saúde de Cascavel prestou contas ontem referentes ao segundo quadrimestre do ano. Houve crescimento em consultas e procedimentos, na distribuição de remédios e um dos números que mais chamaram a atenção foram os gastos com a folha de pagamento, que aumentaram 23,7% no acumulado dos primeiros oito meses do ano em relação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a agosto foram gastos R$ 105.648.841,33 com pagamento de pessoal, enquanto em 2017 eram R$ 85.380.980,04 no mesmo período.

O aumento se dá mesmo com a redução de horas extras determinada pelo Executivo e também com a gestão compartilhada da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) Tancredo.

Outro aumento que chama a atenção é o da receita própria do Município aplicada na saúde. Em 2018, já são R$ 120.888.455,21 investidos, 22,27% a mais que no ano passado, quando no mesmo período haviam sido gastos R$ 98.868.521,16. No total, foram aplicados R$ 164,131 milhões do orçamento no ano, 21,8% a mais que o total executado ano passado (R$ 134,669 milhões).

Com base nisso, o percentual da receita do Município aplicada em saúde, que deve ser de 15%, no segundo quadrimestre passou dos 26%, e no primeiro quadrimestre já haviam sido 18,84%.

Outro dado interessante: apenas com recursos próprios, o valor per capita gasto com saúde subiu 22,2%: no ano passado, foram gastos R$ 309,34 por cascavelense, e, neste ano, passou para R$ 378,23.

Atendimento UPAs

Dentro os aumentos gerais pode se destacar também os atendimentos nas UPAs. O número de consultas teve um acréscimo de 17,9% no segundo quadrimestre em relação ao mesmo período do ano passado, chegando 80.878 contra 68.620.

O número de procedimentos nas unidades ficou quase 40% superior que no ano passado. Sendo 145.077 em 2018 e 103.753 em 2017.

Nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) as consultas cresceram 14,46% de maio a agosto, passando de 107.130 no mesmo período do ano passado, para 122.619 em 2018.

Remédios

Com mais gente atendida e mais procedimentos realizados, também foi preciso mais remédio para a população. Por conta disso, houve aumento das prescrições nas Farmácias Básicas de 36,15%: de 61.321 em 2017 subiu para 83.486 neste ano.

Contratação PSS

A contratação de médicos em regime de PSS (Processo Seletivo Simplificado) para atuar nas UBSs deve ser discutida na próxima semana com o secretário Rubens Griep.

A proposta que parte da Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara de Vereadores vem para suprir a falta de médicos nas unidades causada por licenças, atestados e férias.

De acordo com a Comissão, a contratação de dez profissionais – que fariam uma espécie de “tapa-buraco” – seria ideal para evitar que a população ficasse desassistida.

Caso haja afirmação positiva da secretaria, a questão deve ser também negociada com o TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado).