Erisipela e celulite infecciosa: o que são e como diferenciá-las

Quando o assunto são problemas vasculares, as varizes sempre são as mais citadas. Mas existe uma série de problemas vasculares que podem trazer malefícios à saúde e que não são tão comentados. Exemplos são a erisipela e a celulite infecciosa, infecções cutâneas que causam vermelhidão, dor e inchaço e ocorrem principalmente nas pernas, podendo afetar também braços, abdômen e face. “Tanto a erisipela quanto a celulite infecciosa, que não tem relação com a celulite estética, ocorrem quando as bactérias que fazem parte da flora bacteriana de nossa pele, principalmente a bactéria estreptococo, penetram no tecido cutâneo aproveitando os canais de entrada na pele por cortes ou feridas e provocam infecções que rapidamente afetam os vasos linfáticos existentes na segunda camada da pele”, explica a angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

JK

Segundo a especialista, ambas as infecções possuem sintomas parecidos, deixando a pele dolorida, avermelhada, inchada e quente, podendo causar também febre e calafrios em algumas pessoas. Porém, as doenças não são a mesma coisa: “A principal diferença entre a erisipela e a celulite infecciosa é a profundidade que a infecção atinge. Enquanto a primeira atinge as camadas mais superficiais da pele, sendo mais frequente nos membros inferiores e na face, a celulite atinge a derme profunda e o tecido subcutâneo, ocorrendo principalmente nos membros inferiores”, destaca.

Tratamento

Já o tratamento das condições normalmente é realizado com uso de antibióticos. Nos casos mais leves, o tratamento pode ser feito em casa e os antibióticos são tomados na forma de comprimidos. Já em casos mais graves, o paciente é internado no hospital e os antibióticos são ministrados diretamente na veia. O médico também pode receitar analgésicos e antitérmicos para reduzir a dor e a febre. “Normalmente os sintomas melhoram em dez dias após o início do uso de antibióticos. Mas, para ajudar no tratamento, é importante que o paciente repouse e mantenha o membro afetado elevado durante 30 minutos três vezes ao dia para diminuir a dor e o inchaço, além de manter a área infectada sempre limpa”, completa a médica.

Prevenção

De acordo com Aline Lamaita, na maioria das vezes é possível prevenir a erisipela e a celulite infecciosa. Por exemplo, caso você se corte por acidente, é fundamental lavar as feridas com água e sabão, enxugando bem com uma toalha. “Além disso, se você sofrer com onicomicoses, micoses interdigitais e de unha, é essencial que você consulte um dermatologista para realizar o tratamento adequado, pois essas fissuras que se formam nos vãos dos dedos dos pés são portas de entrada para as bactérias causadoras da doença”, alerta. “O mais importante é que você consulte um médico clínico ou cirurgião vascular ao notar qualquer sinal de erisipela ou celulite infecciosa. Apensas ele poderá realizar uma avaliação e indicar o melhor tratamento.”

Fonte: www.alinelamaita.com.br

JK

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação