Rapidez nos julgamentos no combate ao crime

A celeridade no julgamento dos homicídios contribuiu para a redução de crimes contra a vida em Cascavel, afirmam autoridades policiais. “Algumas mudanças técnicas e específicas, tomadas a partir de 2016 e que foram até motivo de crítica, fizeram com que pudéssemos hoje comemorar uma redução de 60% nos homicídios nos quatro primeiros meses deste ano em relação o mesmo período do ano passado. Passamos de 16 para seis mortes violentas”, explica o promotor de Justiça Alex Fadel.

Atualmente, existem casos pontuais de júris de crimes antigos, mas depois da realização de mutirões o volume de processos atrasados quase zerou e hoje os crimes levam apenas meses para ser julgados, a exemplo do júri que acontece nesta quinta-feira, cujo crime aconteceu em janeiro deste ano (leia na matéria principal).

Alex cita a importância do trabalho em conjunto com a Delegacia de Homicídios e afirma que a certeza de punição e a rapidez na realização dos júris trazem mais credibilidade para a Justiça e faz com que as pessoas cometam menos crimes, ou, se os cometem, já sabem que serão punidas.

A delegada Raísa Vargas Scariot ressaltou que os resultados vêm evoluindo desde a criação da Delegacia de Homicídios, especializada na investigação de crimes contra a vida. “Com esse local de referência, com investigadores especializados, a população se sente mais segura e busca mais por essa ajuda, o que auxilia na solução dos crimes e na prevenção também”.

Em todo o Estado, o número de homicídios caiu 20% nesses primeiros meses em relação ao mesmo período de 2018.



Fale com a Redação

dezessete + 20 =