Alerta na fronteira: Inteligência monitora fugitivos que visam assaltos a bancos

O policiamento foi reforçado na localidade e o alerta foi espalhado por todo o país.

Foz do Iguaçu – O Serviço de Inteligência paraguaio tem informações sobre possíveis assaltos a bancos que estariam sendo planejados pelos detentos – membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) – que fugiram da penitenciária de Pedro Juan Caballero no dia 19 de janeiro.

De acordo com a informação repassada pela polícia paraguaia, o alerta é de que cerca de 50 dos 65 que continuam foragidos estariam planejando uma onda de assaltos em Santa Rosa del Aguaray, local onde existem inúmeras agências bancárias. O policiamento foi reforçado na localidade e o alerta foi espalhado por todo o país.

O policiamento na fronteira com o Brasil continua reforçado desde a fuga, a fim de evitar que os fugitivos, muitos deles brasileiros e considerados de alta periculosidade, entrem no País.

 Risco no Brasil

Mas não é apenas no Paraguai que os criminosos pretendem agir. Uma fonte ligada à segurança pública informa que não está descartado o risco de assaltos também no Brasil e que os grupos vêm sendo monitorados. A Polícia Federal não confirma a informação oficialmente, e diz apenas que “continua em alerta, mas que não há alerta específico nesse sentido”.

 A fuga

A fuga em massa de 75 detentos da penitenciária de Pedro Juan Caballero, cidade que faz divisa com o Brasil, aconteceu no dia 19 de janeiro. A maior parte deles fugiu por um túnel cavado a partir de uma das celas. Um dos detentos foi preso ainda no túnel e outros nove – entre eles um brasileiro – foram recapturados dias depois. Um dos presos se entregou e contou que os líderes do PCC saíram pela porta da frente do presídio. Outros 65 ainda estão foragidos. A polícia paraguaia investiga se houve ajuda e facilitação de agentes penitenciários na ação.



Fale com a Redação

dois × 1 =