Cotidiano

Parcerias elevam os resultados nas propriedades de Santa Helena

Com mais renda, menos famílias consideram trocar campo pela cidade (Foto: Assessoria)

A Cooperativa Agrofamiliar Solidária da Costa Oeste do Paraná organiza a intermediação do comércio de produtos da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Os interessados em vender para o programa devem entrar em contato com a Cooperativa para se associar. Há três anos, as vendas são feitas para o Pnae Estadual e agora o repasse também ocorrerá para a rede municipal.

Nas últimas duas semanas foram efetuados os levantamentos de produtores e produtos. A Cooperativa deve concorrer na licitação para fazer a entrega à rede municipal, conforme o presidente da Coofamel, Wagner Gazziero. “O incremento de renda aos agricultores é um fator importante que estimula a diversificação de culturas nas propriedades e possibilita praticidade no escoamento da produção”, ressalta o presidente.

A ampliação no atendimento também possibilita a inclusão de novos cooperados que trabalham, principalmente, com hortaliças e frutas, com manejo agroecológico, o que resulta em produtos mais saudáveis.

Segundo Gazziero, aproximadamente R$ 1 milhão devem ser investidos em Santa Helena e parte desses recursos serão destinados à compra de produtos da agricultura familiar, por intermédio da Coofamel. Os produtores rurais já iniciaram a produção com expectativa positiva do fornecimento ao Pnae, que simboliza maior segurança ao escoamento dos produtos da agricultura familiar.

Produtores aprendem uso do nosódio

Reunião coordenada por colaboradores da Cooperativa de Trabalho e Assistência Técnica do Paraná orientou produtores rurais de Céu Azul sobre o uso correto do nosódio na agropecuária. Trata-se de medicamento homeopático preparado com amostras patológicas de animais ou vegetais. Os trabalhos foram realizados na propriedade rural de Terezinha e Idamir Ferrarri, na linha São Francisco. As discussões envolveram o uso e eficiência de nosódios tanto na agricultura como na pecuária.

Entre os temas abordados esteve como fazer o nosódio da mastite, que é diferente do composto feito com plantas. A fórmula foi repassada aos presentes. É a seguinte: pegar parte do leite com mastite e três partes de álcool de cereais a 70%, deixando por 15 dias; depois filtra e dinamiza até uma potência de 6 CH.

No caso de frangos optou-se por usar nosódios de cascudinhos e de suas larvas em cama de frango e com bons resultados, segundo os técnicos que repassaram os conteúdos aos inscritos.  

Segundo a engenheira agrônoma e técnica da Biolabore, Daniela Cristiane Zigiottoe, alguns produtores realizaram experiências em suas propriedades e estão satisfeitos com os resultados. “O uso do nosódio em plantas apresenta resultados são ainda mais fantásticos, segundo os produtores. Depois da colheita de soja, os percevejos das lavouras migram para hortas e pomares próximos atacando vorazmente, e a técnica ajuda a proteger as plantações”, diz ela.